Pronto para a prova!



Final de semana “às vezes” é uma extensão da semana, por que tem estudo para a prova, pesquisa e conclusão de trabalho, leitura dos livros da escola.

Entre brincar, passear e descansar, também tem compromisso e responsabilidade.

Nosso dever como pais, “na minha visão e entendimento”, é de acompanhar, auxiliar, tirar dúvidas, orientar e direcionar como se organizar e administrar as responsabilidades, tarefas e atividades...

Acredito que esse é também nosso papel e dever, o de ajudar e apoiar, com motivação e compreensão, empenho e paciência...

- No Ensino Fundamental I (antigo primário), as crianças têm mais dúvidas e precisa de ajuda dos pais, principalmente do nosso direcionamento e apoio para organizar tudo, seja material escolar, as lições, trabalhos... 
- No Ensino Fundamental II (antigo ginásio), os filhos estão entrando na adolescência, e as demandas são outras, mas o olhar atento dos pais para direcionar e colocar limites ainda permanece, para auxiliar nas dúvidas quando necessário, reforçar e relembrar as demandas diárias.

Cada filho é de um jeito, uns precisam de mais ajuda e auxílio, outros menos, mas o olhar e atenção dos pais “são interpretados pelos filhos como gestos de amor e cuidado”, e quando os pais compreendem isso, tudo pode mudar no dia a dia e nas relações familiares.

Toda nossa ação seja positiva ou negativa, de tudo que chega para a família, os filhos aprendem e copiam dos pais.

E esses preparos apesar de ser para os estudos, refletem para a vida.

Quando a gente tem essa percepção e orienta com paciência, sem reclamar dos filhos ou da vida, percebendo que tudo faz parte, tudo vai ficando mais leve, e pais e filhos vão criando laços de amor, cumplicidade, ternura, confiança.

E nesses deveres diário da vida, procuro ensinar a fazer o melhor em tudo que chega, e não “Em Ser o Melhor”.

Não incentivo a ser o melhor ou tirar nota máxima, ensino e incentivo a se esforçar, prestar atenção na aula, respeitar os amigos e os professores, as pessoas em geral... Incentivo a se dedicar tanto na escola quanto em casa nas tarefas diárias de cada fase, e depois o resultado vem, mas sem competição, apenas resultados...

Meu desejo é: Ser a “mulher e mãe” que Eu precisava ter em cada fase da minha vida, desde a infância até a vida adulta... Desejo brincar, cuidar, acolher, corrigir, abraçar, beijar, orientar, escutar, colocar limites, etc.

Tudo que a gente precisa de parâmetro e de referencia, seja de coisas boas ou rins, para reproduzir ou não repetir é possível acessando nosso baú de memórias, mergulhando no nosso Eu interior, que um dia foi criança e tem registros fortíssimos da infância, da vida...

Eu sei às vezes a demanda é grande, mas acredite um dia você sentirá falta de tudo isso, porque a vida é assim...

Pronto para a prova na escola, preparando para as provas que virão na vida, assim seguem os “pais e famílias” que compreendem como é bom e importante esse “tempo junto com os filhos”, seja nos momentos de diversão, seja nos enfrentamentos diário da vida... E com isso os filhos vão saber que podem contar com os pais, e no seu baú de memória ficara essa lembrança e referência de valores, de cumplicidade, que terá grandes chances de ser reproduzida no futuro...

Tudo que a gente planta a gente colhe, então vamos caminhando e plantando boas atitudes, gestos de amor, responsabilidade, respeito, parceria, vivendo e ajudando os filhos a passar com bom ânimo os enfrentamentos diários da vida...
Beijos e até a próxima.
Ju.

2 comentários:

  1. Oi Ju, bom dia!!!

    É uma alegria estar aqui com vocês.

    Esta fase que avança das tarefas escolares e inclui as avaliações, exige das crianças maior disciplina e nossa dedicação em ajudar.

    Com a Laura foi mais ou menos assim: no meio do 4 ano, ela começou a se organizar para as provas de maneira mais autônoma. Mas, eu ainda passava atividades relacionadas à matéria para ela resolver e checar os conhecimentos. Ou, se eu via que ela estava muito cansada, fazia uma "provinha" oral, uma arguição com ela e deixava descansar.

    Neste ano, já no 5 ano, ela estudou sozinha para as avaliações do primeiro bimestre. Só ajudei no que ela teve dúvida e me pediu para aguí-la ou corrigir ou que não tinha certeza se estava certo.

    Então, o que quero dizer que são fases. Ficam cada vez mais independentes com o passar dos anos. Mas, o bom de acompanharmos com dedicação, carinho e amor é a confiança que adquirem em si e em nós para pedirem ajuda sempre que precisam.

    Uma satisfação enorme, né Ju, vê-los crescer a cada ano que passa! Dá um orgulho bom! rsrs

    Beijo e parabéns pelo Vitinho estudioso e atencioso nos estudos! Muito linda a foto dele estudando!!

    Re e Laura

    ResponderExcluir
  2. Oi Ju e Vitor!

    Além da nossa fase de aproveitar os filhos e tudo que eles trazem pq a vida passa rápido, eles também tem a melhor fase da vida em mãos: A infância, a juventude!
    Uma pena que só nos damos conta disso quando amadurecemos. São os ciclos da vida...

    Outro dia uma senhora aqui do prédio, me contou que quando a filha vem visitá-la (ela mora fora), quando vai embora assim que vira as costas, a deixa chorando.
    Pensei nesse futuro aqui com Maria. E sei que essa dor será inevitável.

    Sim, a infância tem suas necessidades, a adolescência outras parecem que maiores, mas ambas preenchem a casa, seja de risadas, alegrias, aquelas eletricidades da adolescência, o crescimento enfim... tudo é cheio....

    E pra falar a verdade, embora seja inevitável, não quero ficar pensando muito no futuro..rs

    Aproveita Vitinho essa fase deliciosa, aproveita amiga essa presença insubstituível, ambas passam!

    Lindo texto!

    Beijos doces

    Tê e Maria ♥

    ResponderExcluir