Leitura Infantil: As Lavadeiras Fuzarqueiras.


Acabaram as férias de Julho, voltamos às atividades e rotinas de casa, da escola, do dia-a-dia...
E nossa leitura de final de semana do empréstimo da biblioteca da escola foi do livro As Lavadeiras Fuzarqueiras, autor John Yeoman. Na verdade a gente leu hoje, segunda-feira, porque o final de semana foi bem cheio, com outras atividades e passeios, que a leitura acabou ficando para a segunda (risos).

Resuminho:

A história é sobre sete mulheres que trabalhavam muito, mas muito duro mesmo, como lavadeiras.
Elas acordavam antes mesmo do sol nascer, passavam roupas até chegar uma montanha de roupas sujas para lavar.


Elas não estavam felizes com aquele “aparentemente” trabalho duro, onde o dono da Lavandeira, o Senhor Baltazar Durão, não dava mole para as mulheres.

Certo dia, uma das lavadeiras sugeriu que elas saíssem por ai, e que não trabalhassem naquele dia... As outras mulheres ficaram felizes com a ideia e começaram a dançar, e saíram em disparada curtir um pouco da vida lá fora. A liberdade trouxe uma alegria enorme, enquanto elas percorriam a cidade com o burro como transporte.

No final da história e no final do caminho em que estavam percorrendo e se divertindo, encontram sete lenhadores que tentaram intimada-las com uma aparência bem assustadora... Mas as mulheres não ficaram com medo, tiraram toda a sujeira dos lenhadores e ai veio à surpresa boa... No final, todos acabaram ficando juntos, as mulheres casaram com os lenhadores, formaram lindas famílias, e todos que passavam pela montanha viam as famílias lenhando, lavando e sendo finalmente felizes de verdade.


Historinha muito bacana, porque a vida por vezes é assim, se a gente permitir e não se der conta, o trabalho vai escravizar a gente, a ponto de não ter tempo para formar uma família, ou não curtir a própria família...
Outra coisa muito bacana que amei na história, foi falar das épocas antigas, em como as roupas eram lavadas (no rio) porque não tinha máquinas, como as casas eram construídas... Os carros e os transportes eram os burros, cavalos, charretes, etc.

Tudo bem, as lavadeiras saíram por ai fazendo farra pela cidade (fuzarqueiras), abandonaram o emprego, deixaram o patrão lá na empresa embaixo daquela pilha de roupas sujas... Isso não é correto, e claro, podemos e devemos ensinar as condutas correta, diante da situação... 

Mas aparentemente as mulheres estavam infelizes e não percebiam que poderiam escolher novos caminhos, estavam sendo exploradas, e a farra pareceu ser mais um impulso de felicidade e liberdade, que elas estavam descobrindo ali naquele momento, do que propriamente ser uma desordem e falta de ética... Um erro não justifica o outro, cada situação é única, mas a história tem bastantes coisas que podemos aprender e ensinar as crianças.

Uma leitura muito interessante, principalmente por abordar outros tempos, onde a gente pode explorar e falar sobre outras épocas, costumes, etc.
Muito bacana a história, fica a dica e recomendação de leitura.
Beijos,
Ju.

6 comentários:

  1. Lembrei de uma história de Trancoso e quase de assombração que meu avô me contava que falava de uma lavadeira que vinha cansada do rio, passava opor um cemitério, e tinha muitas mulheres a rezar, ela achando eram também lavadeiras acompanhava a reza, mas tarde cansada resolvia ir embora e tinha uma bela surpresa. Ah que saudade! Ainda vi muito minha mãe andar pra lavar roupa com a trouxa na cabeça procurando poços. ela mesmo lavou no rio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lembrança deliciosa, Paula.
      O que nos faz lembrar de algo, sempre nos emociona, né...
      E lembranças de avós são sempre especiais...
      Obrigada pela visita.
      Bjs
      Ju

      Excluir
  2. Ei Ju e Vitinho!

    Aqui também gostamos de história de épocas, a dos livros e as nossas que vamos contando, eu e minha mãe, para a Laura!

    Excelente domingo para vocês!!!

    Re e Laura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é muito importante Re, compartilhar a nossa história de vida para nossos filhos..
      Obrigada pela visita.
      Bjs
      Ju

      Excluir
  3. Ai Ju, gostei da história viu?!
    A gente não precisa ficar preso a vida inteira fazendo o que não gosta... pode sim, trilhar outros caminhos, achei uma lição preciosa.
    bjs, Cris

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Cris.
      Vc viu como as leituras sempre tem coisa boa para aprender.
      Eu amei essa leiturinha.
      Obrigada pela visita.
      Bjs
      Ju

      Excluir