Livro: A Curiosidade Premiada, de Fernanda de Almeida.


Encontrei na casa dos meus pais uma pérola de infância, o livro A Curiosidade Premiada, de Fernanda Lopes de Almeida.
Fiquei feliz de encontrar uma recordação de infância, já que restaram poucas lembranças e recordações de brinquedos.
O livro é mais velho do que eu, é de 1978, e tem mais de 20 edições.

A história é sobre uma menininha muito curiosa chamada Glorinha.
Mas muito curiosa mesmo, e fazia muitas e muitas perguntas o dia todo, porém sua mãe e todos os adultos ao seu redor, não respondiam ou não tinham paciência para responder.

E com isso sua curiosidade só aumentava dia após dia.

Um dia, sua mãe foi pedir conselho para uma Senhora muito atenciosa, sobre a curiosidade de Glorinha... E percebeu que isso é normal e excelente para a criança, se interessar pelo mundo e tudo que há nele...

E juntos, a família saia atrás de respostas para sanar as curiosidades de Glorinha, quando não sabiam responder sobre suas perguntas, e isso tornou a vida da família mais interessante e divertida...
A família aprendeu a compreender a filha, que ansiava por respostas, por aprender sobre tudo que estava em sua vista ou mente.

Gloria tinha um irmão menor, e ele era oposto, e quando ficou maior não tinha nem metade de suas curiosidades, e com isso a mãe foi buscar ajuda novamente, mas dessa vez para entender e compreender, porque o filho mais novo não tinha tanta curiosidade pelo mundo ao redor, quanto a irmã Glorinha...

Uma história linda, que mostra como os seres humanos são diferentes, inclusive os irmãos, pessoas que vieram dos mesmos pais, tem o mesmo sangue e genética, mas são diferentes de pensamentos e comportamentos.
E o que fazer nesses casos?
Simples, analisar, observar e compreender cada filho (a), cada criança e a partir daí trabalhar no seu particular, ajudar e respeitar cada um do jeito que é.
Estímulos e incentivos são positivos, desde que a criança esteja bem, não sinta pressionada, ou se sinta menor ou desvalorizada por ser diferente do irmão ou irmã...

Outra aprendizagem com a leitura, é que não podemos ignorar a curiosidade das crianças. Não devemos pensar ou achar que é perda de tempo, ou perder a paciência com as crianças, porque essa curiosidade é um combustível maravilhoso da vida. E a curiosidade de Glorinha foi tão benéfica para a família em vários sentidos, que seus pais passaram a admirar seu interesse e até pensaram em premia-la, mas o melhor presente ela já tinha recebido, que era a atenção dos pais, a aproximação e diversão em família, e a resposta para suas curiosidades.

Hoje em dia está faltando muito isso, essa atenção e união da família, esse tempo desprendido para apenas responder, admirar ou conversar com as crianças...

Histórias encantadoras não acham?

Eu amei, e fica a dica de leitura.

Um comentário:

  1. Amiga... o livro é da minha idade kkkkkk abafa!!
    E é a minha cara... pq sempre fui mega curiosa.
    bjs

    ResponderExcluir