CADEIRINHA DE BEBÊ PARA O CARRO: TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER NESSAS FÉRIAS

As férias são um período em que muitas famílias saem em viagem, se divertem juntas e garantem ótimas recordações.  Os momentos que antecedem a ida, entretanto, costumam ser atribulados: é mãe que arruma as malas, é pai que faz a revisão no carro (ou vice-versa) e é criançada que fica ansiosa para finalmente sair com o carro da garagem. Tudo isso, é claro, na segurança da cadeirinha no automóvel!

O assento infantil, que chamamos de “cadeirinha”, é o lugar da sua criança na hora de andar de carro. Nela, seu filho está protegido de freadas bruscas, batidas e acidentes, não só em viagens longas, mas também na hora de se deslocar no dia-a-dia com os pequenos.

No Brasil, a cadeirinha é de uso obrigatório nos carros que levam crianças desde a primeira vez que andam no veículo até os 10 anos, ou até que elas atinjam um metro e meio de altura, que é o indicado para a colocação do cinto de segurança de três pontos (aqueles que têm no nosso carro). Depois da “lei da cadeirinha”, que começou a valer em 2010, foram evitados muitos acidentes fatais de crianças no tráfego, que é uma grande vitória para um trânsito mais amigável e cidadão.



A CADEIRINHA DO SEU FILHO

Existem três tipos de cadeirinhas. É preciso ficar atento para saber quando usar cada uma delas, pois a segurança da criança depende da escolha dos próprios pais. Elas variam de acordo com o tamanho e o peso da criança e devem sempre ser instalada no banco de trás do carro.

Aonde colocar a cadeirinha?

O bebê conforto é a primeira cadeira para auto na qual você vai colocar seu bebê, desde o momento em que ele sai da maternidade até atingir 10 quilos, geralmente quando está completando um ano de vida. Ele fica preso ao cinto de segurança e virado para o banco traseiro, pois assim causa menor impacto em caso de acidente ou então, se o bebê por acaso se soltar do assento.

É recomendável instalá-lo no meio do banco traseiro, pois, nessa fase, como as crianças são muito pequenas, as mamães acabam ficando mais preocupadas com elas e podem olhá-las pelo retrovisor ou facilmente virando o pescoço para trás em momentos seguros no trânsito. Além disso, os riscos para eles são menores em caso de colisões laterais.

Quando a criança está com mais de 10 quilos e já controla os movimentos da cabeça e do pescoço, é hora de colocá-la na cadeirinha. Essa já pode ficar virada para frente, também presa ao cinto de segurança do automóvel. É importante notar o tamanho da criança para o tamanho tanto do bebê conforto quanto da cadeirinha: quando a cabeça estiver ultrapassando o limite do assento, é hora de fazer a troca, pois seu bebê está crescendo! Cadeirinha pequena é, além de desconfortável, nem um pouco segura para os pequenos.

Para crianças de 4 a 10 anos de idade, os pais devem utilizar os assentos de elevação, preso ao cinto e em direção à frente do veículo, que deixam o banco na altura adequada para passar o cinto de segurança do automóvel. Conforme os pequenos forem crescendo e chegarem a mais ou menos 36 quilos, é hora de ver se eles já apoiam os dois pés no chão e ficam confortáveis e seguros sem a elevação no cinto de segurança de três pontos, que também é obrigatório. Mas lembre-se que eles devem usar a faixa transversal também! Nada de ficar brincando com esta parte essencial do cinto.
Papais e mamães, prestem atenção na segurança dos seus filhos! Além de colocar os assentos no carro, é preciso verificar se o acessório tem norma técnica do país de origem e se é certificado pelo Inmetro. Pais que descumprem estes requisitos ou a ausência do assento infantil podem levar uma multa de infração gravíssima e sete pontos na carteira de motorista, e, se você está indo curtir as férias, vai preferir usar esse dinheiro para a viagem, não é mesmo?!

NA ESTRADA

Às vezes pode ser cansativo para o bebê ou entediante para os mais velhos, passar diversas horas sentados na cadeirinha aguardando o momento da chegada. Os pais devem insistir que, caso não seja necessário ou possível, as crianças permaneçam ali, na segurança do assento.
Como não é viável dar colo nem amamentar o bebê com o carro em movimento, na hora da viagem é muito importante realizar paradas em locais apropriados. Postos de gasolina, áreas de descanso e centros de apoio turísticos são ótimas opções para isso, mas tenha água sempre à mão! Para os mais velhos, que precisam usar o banheiro, as paradas também serão bem-vindas, além de ser importante para o motorista relaxar um pouquinho antes de voltar à direção.

Dicas para passar o tempo em viagens longas

As viagens longas são oportunidades de exercitar a criatividade e encontrar formas de distrair as crianças para que haja desconforto mínimo na estrada. Brincadeiras de imaginação, de adivinhação e de observação vão prender a atenção e garantir algumas risadas pelo caminho, tanto das crianças quanto dos adultos. Desse jeito, as horas vão passar bem mais rápido!

Na mala, você não pode ter esquecido roupas apropriadas nem os brinquedos favoritos dos pequenos. 

Também é essencial até mesmo para pais que não são tão “corujas” preparar uma caixa de primeiros socorros com curativos, termômetro e remédios que a criança está acostumada a tomar. Manter a documentação sempre por perto também pode facilitar muitos processos comuns nas viagens.
Ao chegar finalmente ao destino, é só aproveitar e repetir tudo de novo para retornar com segurança aos lares!

Dicas da Alô Bebê.
Autora: Carolina Peres – Seo Marketing.


5 comentários:

  1. Amiga, mega importante o uso da cadeirinha, aqui usamos desde sempre e graças a Deus nunca precisei tirar o Joseph no meio da viagem... elas são confortáveis e se acostumamos eles vão bem, bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade amiga, muito importante o uso diário e contínuo...
      Nunca sabemos o dia de amanhã, né...
      Segurança é a melhor coisa...

      Excluir
  2. Que texto completo amiga!!! Muito bom.. é sempre importante dar dicas pros papais, mesmo que eles já saibam. Muitos não seguem isso... infelizmente. Aqui desde o nascimento seguimos à risca!
    Maria hoje usa o banco de elevação que é pra idade dela, pq como você falou o cinto de 3 pontos será pra quando ela estiver maior. Hoje sem a cadeirinha, o cinto ainda pega no pescoço. Um perigo né, por isso existe a banco de elevação.

    Falando de cadeirinha me recordo de muita coisa.
    Uma é que fico triste de ver pais que não ligam pra isso.. Vejo crianças no pescoço das mães soltas.. Crianças pequenas mesmo de 5,4 anos... Ou as vejo no banco da frente.. Quando o carro bate, o primeiro que voa no vidro ou pra fora do carro é a criança que está sem cinto. Alguns pais usam o cinto e a criança fica desprotegida. Muitas mães não querem ver o xororo e deixam pra la...

    Vejo tanto, mas tanto isso indo pro colégio da Maria.. que triste :(

    Outra coisa era quando andávamos com meu irmão. Apressado que só ele não queria parar para eu amamentá-la. E nós de jeito nenhum tirávamos da cadeirinha para isso... Mesmo com pressa ele tinha que parar... Hoje ele tem filha e compreende isso.. Pena também rs

    Outra coisa amiga (olha o post rs) foi um constrangimento que passamos.. No bolhinhas eu conto isso. Não sei se ja´te contei.. são tantas conversas rs Pois bem... sem ainda ter carro, andavamos de cadeirinha até em onibus de viagem. Maria pagava uma passagem só pra colocar a cadeirinha em um banco. Quando estavamos no local, rodavamos com a cadeirinha de taxi. Chegando aqui na cidade, vindo embora, fomos pegar um taxi pra casa e a motorista insistiu que não precisava colocar a cadeirinha pq ela não andava pra bater.. Ora bolas... Ela poderia não bater , mas poderia vir um doido e bater nela. Cris ficou tão nervoso que falou pra ela que se ela não quisesse a gente pegava outro taxi. Pois ela tirou nossas malas do porta mala e botou na calçada. Como se fossemos cachorros... Amiga... foi tão chato isso.. O mundo anda do jeito que está por ignorancia... Pura ignorancia...

    Quando acontece um acidente e a criança é a primeira (ou unica) a morrer pq estava desprotegida, eles falam que foi fatalidade... Queria deixar esse relato que são 3 coisas que sempre marcaram pra mim...

    Adorei o post amiga...

    Um beijo doce.. estou voltando rs

    Tê e Maria ♥

    ResponderExcluir
  3. Nossa que testamento.. isso é pra audio kkkkkkkk sorry amiga... rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, sem problemas...
      Adorei seu comentário, obrigada.
      As vezes a gente lembra de algo, se empolga e quer comentar... :)
      Bjs
      Ju

      Excluir