Mamadeiras. Aliada ou vilã da alimentação dos bebês e crianças?

Com certeza o melhor, mais completo e perfeito alimento aos bebês de 0 a 6 meses de idade (no mínimo), é o leite materno. Além de alimentar, ele ajuda na defesa contra infecções mais decorrentes em bebês e crianças.

Porém, não podemos esquecer as crianças e bebês que não mamaram no peito, e algumas mães que aderem as mamadeiras, após a licença a maternidade, para continuar alimentando seus filhos (as), seja com leite materno ou leite em pó.

As mamadeiras são um grande aliado para alimentação das crianças, mas nem sempre é assim.
Existem pessoas que não toleram nada, nem um tipo de bico, seja de mamadeira, de copos com bico, etc.
Seja por motivo de substituição do peito da mãe pelos bicos artificiais ou pelo fato de causar cárie na dentição da criança.
A chupeta também entra nesse dilema de “amor e ódio”, alguns pais não se importam tanto, outros abominam a chupeta, também pelo motivo da dentição, mas nesse caso pela má formação dos dentes.

Aqui em casa levo esse dilema numa boa, pois meu filho não mamou no peito, então a questão da mamadeira é bem tranquila, sem traumas, nem culpas.

E a mamadeira é por enquanto muito usada.
Meu filho toma duas mamadeiras bem cheias de leite, e duas de suco de laranja lima.

Vejo nitidamente a preferência pela mamadeira ao invés dos copos tradicionais.
Se eu der o mesmo suco de laranja lima no copo, ou até mesmo o leite, meu filho não terá a mesma vontade de tomar quanto na mamadeira. Então fico despreocupada com os "mimimis" sobre mamadeira, se a criança já está grande demais para tomar na mamadeira...


E assim continuo despreocupada com as mamadeiras.

Meu filho não toma muito líquido, mesmo que oferecido várias vezes durante o dia, ele toma bem pouca quantidade.
Sendo assim, não posso de jeito nenhum tirar o único e melhor veículo de hidratar e levar ao seu corpo, "vitaminas e cálcio" necessários para o seu crescimento e desenvolvimento.

Sei que as mamadeiras são verdadeiras vilãs para muitas pessoas, mas aqui ela é de extrema importância.

Se você estiver na dúvida se deve ou não tirar as mamadeiras, faça um teste.
Experimente fazer as trocas, oferecendo copos, de preferência com personagens preferidos das crianças, que estimulem a troca.
E se perceber que a criança toma os líquidos, sem fazer muita questão das mamadeiras, então vivaaaaaaa, faça a troca.

Acho que o mais importante é perceber cada criança, dialogar e não causar traumas, brigas e decepção nas crianças.

Essas são as fotos do meu Vitinho tomando seus sucos de “laranja lima” tão amado.




Se a criança toma e gosta dos sucos de frutas, como laranja e limão valem a pena comprar o espremedor igual dos usados em bares e restaurantes.
Além de práticos, espremem todas as frutas com muita facilidade.
Eu tenho o meu aqui em casa, e é indispensável.


O próximo post será sobre o assunto: Chupeta, paninho e mamadeira, qual à hora de tirar das crianças?

Beijos,

Mãe Sem Fronteiras.

2 comentários:

  1. Amiga, num aguento esses mimimis...rsrs JM mamou no peito até quase 3 anos. Isso sempre foi o meu orgulho, mas nunca me achei melhor do que as outras mães, mas foi uma superação de dor (isso é um outro assunto...).
    Quanto a mamadeira, JM usou tb, pois como foi pra escola cedo, como vc mesmo disse no texto, precisamos introduzir a mamadeira e foi bem tranquilo. Depois, ficou só com a mamada da noite com o peito.
    No dia em que fez 3 anos, chamei ele na cozinha, mostrei as duas mamadeiras que tinha e disse "Filho, agora vc tem 3 anos e já é um rapaz. Tá na hora de jogar as mamadeiras fora. Vamos jogar?"
    Ele jogou menina, numa boa e nunca mais pediu!! Um sucesso!!
    Com 4 anos fiz o mesmo ritual com o copo com tampa... há há
    deu certo tb!
    Bjus menina e adorei o suquinho de frutas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal Genis, sua experiência com a mamadeira.
      Aqui estamos sem previsão de parar com a mamadeira, mas estou bem tranquila... na hora certa faremos a troca pelo copo...rs
      Obrigada pelo comentário.
      Beijos,
      Ju.

      Excluir