As piores guerras da vida!



A desvalorização do SER, do extraordinário que existe na simplicidade dos dias e das tarefas diárias, tem moldado uma geração de guerras, conflitos internos e externos...

Filhos e família são bênçãos, mas é de fato responsabilidade em longo prazo.

Eu gosto de afirmar que “Filhos têm manuais sim”, porém, é como um “mapa a ser desvendado TODOS os dias”.
Os livros, revistas, sites, blogs auxiliam e muito, “mas não definem os nossos filhos”.

O que define a criação dos nossos filhos é a convivência diária na rotina da família, o vinculo que se forma na atenção necessária em cada fase, respeitando a individualidade e observando todas as influências dos ambientes, enfim, é na prioridade e na atenção que compreendemos o SER e desvendamos o manual de cada pessoa.

“Não existe nada melhor para a criança e para o ser humano, do que a harmonia e a paz dentro de casa”!

Não tem dinheiro que pague uma família acolhedora, que tem parceria nos detalhes dos cuidados, um lugar que temos vontade de estar e principalmente de voltar todos os dias!

Você nunca se perguntou?
Como é possível uma pessoa, um pai ou uma mãe não conhecer o próprio filho ou a própria filha!
Precisamos parar de anestesiar a vida, é necessário ver a vida como ela é, parar de se iludir para não enfrentar, sair dessa hipnose da televisão e ligar o cérebro e coração.

É preciso coragem para sair da ilusão e encarar os dias trabalhosos... É preciso coragem para enfrentas as dificuldades, tirar as máscaras, deixar de PARECER e passar a SER... É preciso coragem para assumir a rédea da situação, reduzir refúgio infindável, que oculta a vida real.

Família não é emprego, mas sim tem trabalho duro, sem chefe para vistoriar, sem salário no final do mês, mas a recompensa é em longo prazo, deixar um legado, é ver os filhos crescer íntegro na vida.

E se tiver dificuldade na criação dos filhos, peça ajuda, MAS não fuja, não adie, não delegue e terceirize o “amor e a educação”.

Filhos são tesouros preciosos, mas que precisamos lapidar todos os dias.

Aproveite os filhos de pertinho, passando tempo juntos, participando do crescimento e desenvolvimento, criando vínculo através das brincadeiras, das conversas durante as refeições, do simples passeio rotineiro da família (mercado, padaria, cabeleireiro), vá ao parque jogar bola, andar de bicicleta...

Ouça os filhos, faça perguntas, mostre interesse pela vida deles!

Demonstre através da preocupação, do cuidado, da priorização o seu amor... Converse, dê exemplos de vida contando sua história, e principalmente não terceirize a educação e o amor.

E priorizar não é deixar os filhos mandar e viver a vida sem rédea, não é isso... Priorizar é estar inteiro, é ser verdadeiro principalmente quando precisar dizer Não, agora não vai dar... Não posso fazer isso, ou Não posso dar isso agora...

Para conhecer uma pessoa é necessário conviver, andar juntos, superar e administrar adversidades da vida e de personalidade, enfrentar juntos a adversidades da rotina, e isso requer atenção, amor ágape que vai além do próprio umbigo e vontade.

Não existe fruto maduro direto na semente, tal como o amor jamais se consolida sem o teste da convivência. (Reinaldo Ribeiro – O poeta do amor)

A vida é trabalhosa mesmo, temos trabalhos e desafios diários, e nossa missão e compromisso é encarar! O que faz uma pessoa resiliente é a capacidade de enfrentar e passar por diversidade, superar e aprender com as dificuldades, porque o que não mata fortalece!

O primeiro passo para ter bons resultados é ouvir as pessoas sem interferências, deixando as desculpas, culpas e o ego de lado um pouco...

Comece desistindo de competir, de mentir, de disputar, de comparar, de tirar vantagem em tudo, e principalmente seja honesto (a). Honesto com você e com as pessoas ao seu redor, assuma as responsabilidades, e coloque sempre Deus à frente.

Não tem sucesso ou dinheiro que compense um lar destruído, com solidão, brigas, discórdias e separação.
Acredite, toda guerra externa começou primeiramente interna, na alma, em casa.

Não abandone esse barco da família, você é capaz, acredite!
Deus abençoe as famílias!
Beijos
Ju.

8 comentários:

  1. Sensata, linda,verdadeira mensagem! Nunca podemos abandonar esse barco... Somos muito responsáveis e assumimos ,temos que continuar sempre! Lindo fds! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Oi Ju!!!

    Estes dias ouvi uma frase dizendo o seguinte: "somos seres humanos e não fazeres humanos". Gostei porque estava no contexto de pessoas que se definem pela profissão e não pelo que realmente são.

    Há um modismo, que também não compreendo, eximindo os pais de serem pais. Porém, está machucando as famílias. Mas, Deus conhece o coração sincero, as lágrimas e até o que silencia a nossa alma.

    Por isso, mesmo que o vento sopre forte e contrário aos princípios, Ele tem o poder de pará-lo.

    Linda a sua reflexão!

    Beijo!!

    Re e Laura

    ResponderExcluir
  3. Oi Ju!
    Essa semana eu recebi em meu e-mail um artigo entitulado: A sociedade dos filhos órfãos de pais vivos.
    Exatamente a reflexão que você nos traz com seu texto.
    Cultivar a família dá trabalho sim e querer encontrar o caminho mais fácil, é a certeza das dificuldades.
    Hoje é possível delegar para o pediatra, para as medicações, para a escola, babá, parentes, celular e tecnologias afins.
    Mas o envolvimento, o olhar demorado, a escuta é a maneira de exercermos a responsabilidade e o amor por nossa família.
    Beijo!
    Ana Paula

    ResponderExcluir
  4. Ju, lindo pensamento e mensagem! Eu conheço seu coração e concordo que família é investimento. A convivência com nosso marido, com nossos filhos, é coisa preciosa. Não é qualquer coisa. Precisa ser lapidada todos os dias.
    Erros, acertos, olhares, desculpas, alegrias, ternura, empatia, fazem parte da construção familiar e essa construção que é precisa ser vivida e compartilhada entre todos, pai, mãe, conjuge, filhos.

    Nada se dá pelo caminho largo que traz facilidades. É pelo estreito, mas certeiro, que requer muito cuidado e muito trabalho...

    É mesmo investimento de amor todo o tempo! Lembrar que não somos perfeitos por isso toda hora precisamos lapidar essa construção.

    Beijos amiga! Otima reflexão.

    Tê e Maria ♥


    ResponderExcluir
  5. Bia tarde de paz, querida Ju!
    Li seu comentário na amiga Chica e noutros blogs. Em especial no da também querida Renata.
    Hoje estive programando uma postagem que vai falar sobre o SER...
    Achei super bacana você também abordar a questão visto que somos impulsionados ao ter... Um horror...
    Gostei de tudo que ecpreessou aqui. Um lar precisa mesmo ter tudo o posto aqui para que todos nós sintamos não só numa casa ou sob um teto...
    Parabéns por também reacender valores!
    Muito obrigada pela bela partilha.
    Conviver, ouvir... Que benção!
    Tenha dias de descanso e muito felizes!
    Bjm carinhoso e fraterno

    ResponderExcluir
  6. Olá Ju!
    Que beleza de clareza e sabedoria numa postagem sobre o ser e da nobre arte de educar e tornar seres úteis á sociedade, uma batalha, em que as mães levam esta carga com muita arte e carinho e quando não acontece, temos os frutos proibidos espalhados pela sociedade, causando estragos e sendo ceifados pela força policial ou pelo comando do crime, das drogas e dos delinquentes. O mundo moderno é uma armadilha certeira para pegar os não preparados para circular em meio à todo tipo de coisas ruins e perigosas. Não creio, que os pais busquem blindar os filhos, mas lhes criar uma carapaça, que os defenda e os ensina a circular sem os arranhões. um texto rico de pensamentos e sabedorias que levam muito da experiencia trocada, que tem papel importante nesta vida.
    Meus parabéns por tão bela partilha, que serve de apoio e pesquisa na arte de educar.
    Um feliz carnaval para vocês, brincando ou passeando que a alegria esteja sempre presente amiga e possam ter dias bonitos por aí.
    Beijo amiga e minha gratidão pela atenção aos meus escritos.

    ResponderExcluir
  7. Vivemos numa sociedade que não dá nenhum valor a família, muito triste ver as crianças cada vez mais abandonadas, pais e família loucos por dinheiro e poder, creches e mais creches abertas para mães que nem trabalham , professores viraram eras babás de uma sociedade falida.
    aqui em casa temos mias tempo para os pequenos, menos dinheiro porem uma família feliz. Bjs bom feriado
    https://patriciacharleaux.blogspot.com/

    ResponderExcluir